Sexta-feira, 19 de Outubro de 2018
Brasil - Mundo

Criança com farda da PM e arma de pressão é levada para delegacia

Menino estava com família em hospital público; militar quis recolher itens e chegou a algemar o pai da criança. Lei proíbe venda de armas de brinquedo, mas libera 'airsoft'.

Publicada em 02/02/18 às 08:33h - 233 visualizações

por Filó Notícias.Net


Compartilhe
   

Link da Notícia:

 (Foto: Divulgação Internte)

Uma criança de 10 anos foi "detida" com o pai e levada a uma delegacia do Distrito Federal, nesta terça-feira (30), por estar fardada com o uniforme completo do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar. Além disso, o menino também carregava uma arma de pressão, do tipo "airsoft".

A dona de casa Glaucia da Costa Silva, 31 anos, contou ao G1 que levou o filho e o marido ao hospital público de Ceilândia como acompanhantes, enquanto buscava atendimento médico. Lá, a confusão começou porque um vigilante questionou as vestes e a arma ostentada pelo garoto.

"O vigilante chamou um policial, que já veio alterado. Ele pegou pelo braço do meu filho e disse: 'Me dá essa arma que eu estou mandando'", disse Glaucia.

Segundo a mãe, a arma foi comprada "legalmente" e o documento da aquisição está guardado. Em 2013, o governo do DF proibiu a fabricação, distribuição e comercialização de armas de brinquedo e réplicas de armas de fogo. No entanto, a restrição não inclui armas de pressão, em especial as de ar comprimido, airsoft e paintball.

Procurada, a PM informou que o policial militar que participou da ocorrência foi ao local após ser solicitado por um funcionário do hospital. No chamado, o funcionário descreveu que havia uma criança portando a réplica de uma arma, e isso estava causando certo temor aos pacientes do local.

"O policial solicitou ao pai que recolhesse [guardasse] o objeto. Não houve qualquer queixa ou censura quanto à criança vestir a farda", afirmou a corporação.

Discussão e algemas

Ainda de acordo com Glaucia, o marido - o desenhista Eduardo de Jesus Pereira - ainda tentou argumentar com o policial militar, dizendo que o filho é conhecido pela própria corporação por exibir, nas redes sociais, trajes das forças especiais da PM.

Em resposta, o policial disse que a conduta era ilegal e deu voz de prisão ao desenhista. O pai chegou a ser algemado em uma pilastra do hospital, segundo a mulher. 

"O policial xingou meu marido. Quando me dei conta, tinham uns 30 PMs lá. Me senti horrorizada, humilhada. Meu marido não é bandido, por que fazer uma coisa dessa com ele e com o meu menino?" 

Os militares levaram o pai para a 23ª Delegacia de Polícia (P Sul), e a criança, para a Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA). O G1 entrou em contato com a Polícia Civil, mas não obteve resposta sobre o caso até a publicação desta reportagem.

A mãe do garoto disse que o filho gosta de usar fardas da Polícia Militar desde os 6 anos e que o menino tinha grande admiração pela corporação, mas, agora, está "desolado".

 

"Ele falou que não quer mais usar as roupas da PM. Ele está em pânico." 

Desculpas

Após a repercussão da notícia, a Polícia Militar pediu desculpas nesta quarta-feira (31) ao menino de 10 anosA criança foi convidada para passar o dia todo visitando a corporação, com direito a conhecer o helicóptero e a cavalaria.

Ao G1, a Polícia Militar disse que a Corregedoria será acionada. "Caso fique verificado algum tipo de ilegalidade ou abuso na abordagem policial, será aberto procedimento", disse a corporação.


Por Letícia Carvalho, G1 DF




Deixe seu comentário!

ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.







Nosso Whatsapp

 (87) 9-9661-1561

Visitas: 5740071
Usuários Online: 217
Copyright (c) 2018 - Filó Notícias.Net - Filó Noticias.Net Conectando você ao Mundo das Informações.