Domingo, 22 de Abril de 2018
Brasil - Mundo

Opaq investiga suposto ataque químico na Síria; Rússia defende governo Assad

Ataque em Duma deixou dezenas de mortos e feridos no sábado. Governo sírio nega utilização de armas químicas.

Publicada em 09/04/18 as 09:23h - 21 visualizações

por Filó Notícias.Net


Compartilhe
   

Link da Notícia:

 (Foto: reprodução)

A organização para a Proibição das Armas Químicas (OPAQ) anunciou nesta segunda-feira (9) que investiga as informações sobre um suposto ataque químico na cidade de Duma, o último reduto rebelde na província síria de Guta Oriental. A Rússia afirma que são falsas as suspeitas de que o governo sírio seria responsável pelo bombardeio.

"A Opaq fez uma análise preliminar das informações sobre a suposta utilização de armas químicas desde sua publicação. Mais elementos serão reunidos para estabelecer se foram utilizadas armas químicas ", afirmou o diretor geral da organização, Ahmet Uzumcu, segundo a France Presse.

O ataque em que um gás tóxico teria sido utilizado aconteceu no sábado e deixou dezenas de mortos e feridos. A Sociedade Médica Sírio-Americana (SAMS, na sigla em inglês) e a Defesa Civil síria (ONG mais conhecida como Capacetes Brancos) estimam que 49 pessoas morreram.

Já o Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH), ONG que monitora a guerra civil do país, disse que ao menos 80 pessoas morreram - 40 de sufocamento. O governo sírio nega a utilização de armas químicas.

'Provocação'

Nesta segunda, o ministro de Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, considerou que as acusações que pesam contra o governo sírio são falsas e constituem uma provocação, informou a Reuters. A Rússia é a principal aliada do governo de Bashar al-Assad na guerra que já dura sete anos.

Lavrov também disse a repórteres, após reunião com seu colega tadjique em Moscou, que um ataque aéreo realizado no domingo contra uma base aérea síria era uma evolução perigosa.

Acusação

A acusação do suposto ataque químico contra o governo partiu do grupo rebelde sírio Jaish al-Islam. Eles acusam o regime de Assad de lançar um barril-bomba com substâncias químicas venenosas contra civis em meio a uma ofensiva das forças do governo sírio a Duma.

Os Capacetes Brancos, socorristas ligados à oposição, relataram que famílias inteiras foram encontradas sufocadas em suas casas e abrigos.

Reação dos Estados Unidos

Os Estados Unidos pediram à Rússia que retirem o apoio a Assad após o suposto ataque químico. O Departamento de Estado dos EUA disse que relatos de vítimas em massa do suposto ataque em Duma foram "horripilantes" e que, se confirmados, "exigem uma resposta imediata da comunidade internacional".

No Twitter, o presidente dos EUA, Donald Trump, condenou o suposto ataque e afirmou que a Síria pagará um preço alto. "Muitos mortos, incluindo mulheres e crianças, em um ataque químico absurdo na Síria. A área da atrocidade está cercada pelas forças sírias, deixando-a inacessível para o resto do mundo", escreveu.

"Presidente Putin, Rússia e Irã são responsáveis pela volta do 'animal' Assad. Preço alto a ser pago. Abram a área imediatamente para atendimento médico e investigação. Outro desastre humanitário sem qualquer razão", completou Trump.

Do G1.




Deixe seu comentário!

ATENÇÃO: Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.







Nosso Whatsapp

 (87) 9-9661-1561

Visitas: 5190208
Usuários Online: 88
Copyright (c) 2018 - Filó Notícias.Net - Filó Noticias.Net Conectando você ao Mundo das Informações.